sábado, 1 de junho de 2013

NÃO SEI SE SAIA OU SE FIQUE !



 Conversa numa manhã destas, no Palácio de Belém.


Maria - Oh Aníbal, já leste os jornais?
Aníbal - Li.

Maria - Leste a entrevista ao Sousa Tavares?
Aníbal - Oh Maria o Sousa Tavares já morreu.

Maria - O filho…!
Aníbal - Mas o nosso filho deu uma entrevista?

Maria - Não! O filho do Sousa Tavares que morreu.
Aníbal - Morreu o filho do Sousa Tavares???? Temos que mandar flores.

Maria - Foda-se Aníbal, Vê se me entendes: O Miguel Sousa Tavares, filho do Sousa Tavares que morreu, deu uma entrevista!!!
Aníbal - Ah!!! Aquele que é jornalista!!

Maria - Sim e advogado.
Aníbal - Nunca gostei de advogados… e muito menos de jornalistas. Desse Sousa Tavares não se aproveita nada!

Maria - Sim ok! Foi esse que deu a entrevista.
Aníbal - É interessante a entrevista?

Maria - Então tu não leste?
Aníbal- Ando aqui às voltas com jornal que deve ser de ontem.

Maria - Qual jornal?
Aníbal - O Tal e Qual.

Maria - Mas esse jornal fechou há uma série de anos…
Aníbal - Foi? Bem que me estava a parecer estranho o Joaquim Letria estar tão bem conservado…

Maria - Não há paciência Aníbal! Presta atenção. O Sousa Tavares chamou-te palhaço!
Aníbal - Foi? Que mal-educado.

Maria - É só isso que tens para dizer? Não vais fazer nada?
Aníbal - Vou! Tenho o número de casa do pai. Vou- lhe dizer para ver se põe o filho na ordem….

Maria - Mas o Sousa Tavares já morreu !!!
Aníbal - Mau Mau! Então como é que deu a entrevista?

Maria - Puta que pariu esta merda. Para o que estava guardada…
Aníbal - Não precisas de te chatear. Se não conseguimos falar com o pai, falamos com a mãe… Conhece-la?

Maria - Oh Aníbal desce a terra. A mãe morreu há montes de anos!
Aníbal - Não estava a falar da tua mãe!

Maria - Nem eu foda-se! Estava a falar da mãe do Sousa Tavares, da Sophia de Mello Breyner.
Aníbal - Sim. Essa mesmo. Temos o número?

Maria - Foda-se a mulher morreu!!!  Percebes?
Aníbal - Mais flores? Não temos dinheiro para isto…

Maria - Esquece!
Aníbal - Então e um tio dele?

Maria - Um tio???? Qual tio?
Aníbal - Por exemplo, aquele que é actor! O Sr. Contente!

Maria - O Nicolau Breyner?
Aníbal - Esse mesmo. Temos o número dele?

Maria - Mas por alma de quem é que vais ligar ao Nicolau Breyner?
Aníbal - Para lhe fazer queixa do sobrinho.

Maria - Mas o Sousa Tavares não é sobrinho do Nicolau Breyner? De onde te saiu essa ideia?
Aníbal - Tem o apelido da mãe, mas foste tu que falaste nele…

Maria - Pois! Tu também tens o mesmo apelido da Ivone Silva e ela não era tua tia, pois não?
Aníbal - Quem é essa? Não estou a ver.

Maria - Não estás ver e não vai ver porque também já morreu.
Aníbal - Foda-se! Mas o que é que se passa hoje? São só mortos!

Maria - E eu devo ir a seguir…
Aníbal - Não digas isso. É pecado.


Maria - Pecado é ter que te aturar meu Palhaço.
Ooops!!! Esquece a entrevista!

quinta-feira, 2 de maio de 2013

1º. DE MAIO !

1º. DE MAIO DE 2013 !



























Só para recordar, 1º. de Maio de 1974, em Chaves !








(Fotos de H.S.)

A POLÍTICA DIABÓLICA DE GOLDMAN & SACHS !




Sim, é diabólica, mesmo para quem não acredite no demo. É um documentário que dura cerca de uma hora, mas que é imperioso ver para quem tenha um pouquinho de vontade em ver este mundo para além do que se vê.
Quem tenha visto e ainda se lembre de CITIZEN KANE (o Mundo a seus Pés) não deixará de perceber como o cidadão Kane com o seu império, não vai além de uma atrofiada metáfora deste Goldman&Sachs. reparem na ironia do gold man...
Que vos sobeje tempo e sentimento para ver-ouvir-tremer.
"O Banco de investimento criado em Nova Iorque em 1868 conseguiu o seu sucesso e a sua reputação à base do silêncio a toda a prova. Goldman Sachs foi a instituição bancária que correu mundo a trabalhar em segredo. Mas hoje Goldman Sachs é acusada de ter ajudado os países como a Grécia a encobrir o seu déficit.Um documentário que nos leva de Nova Iorque a Atenas, com paragens em Londres, Paris e Bruxelas."
Não deixem de ver e meditar. Isto explica a actual situação económica da Europa.

O srº António Borges, consultor do governo português para as privatizações, também aqui é referenciado !
Foi escolhido pelo governo ou imposto pelo Goldman & Sachs ???

domingo, 14 de abril de 2013

O PASSADO DESCONHECIDO DE ÂNGELA MERKEL


ÂNGELA MERKEL, A ALEMANHA, OS NAZIS E A ALEMANHA NEGRA


  
Ângela Merkel, em franco convívio com neo-nazis, em 1993  





Aqui a saudação de despedida dum bandalho, feita a Ângela Merkel



  
Ângela Merkel, ainda novinha … mas que era quente … era ... era  !!!

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

CHAVES NÃO SE VERGA, O POVO RESISTE !



Como já tinha aqui publicado, o povo de Chaves e do Barroso, resiste à tentativa deste (des) governo de eliminar a nível nacional, uma enorme parte das Comarca Judiciais e de Tribunais, favorecendo assim, os grandes centros habitacionais e grandes escritórios de advogados.

Mas como sempre, em toda a história de Portugal, os transmontanos souberam, sabem e, continuarão a saber, como responder a gente que os tenta espoliar dos direitos conquistados, quantas vezes com base em lutas e em perdas de vidas.



sábado, 24 de novembro de 2012

JUDICIÁRIA INVESTIGA “PADRE MILIONÁRIO"

Afinal os milagres existem !          





Este padre “meliante de primeira”, não consegue justificar a movimentação de 5 milhões de euros nas suas contas bancárias …
A única conclusão que poderemos tirar, é a de que teria sido certamente um milagre !

Parte do “breviário” deste padre, já foi em tempos publicado neste blogue, aquiaqui e aqui … vale a pena reler, pois a “fama já vem de longe” !

Pelo menos até 2010, o padre Fernando Guerra, condenado no ano passado a três anos de pena suspensa por posse de armas proibidas, movimentou nas suas contas bancárias mais de cinco milhões de euros.
De acordo com uma investigação do Correio da Manhã, divulgada na edição de 24.nov.12, a PJ descobriu várias contas bancárias e concluiu que «as comissões fabriqueiras das paróquias serviam para esconder o rasto dos milhões» movimentados pelo ministro que também já deu missas em Boticas.
Numa dessas contas, alegadamente no Finibanco, em julho de 2005 havia um saldo nulo, mas dois anos depois o sacerdote já dispunha de 3 000 euros. Durante esse período circularam nessa mesma conta mais de três milhões de euros, transferidos depois do vencimento de juros de depósitos e de aplicações feitas por Fernando Guerra, conta o matutino.

A Polícia Judiciária (PJ) de Vila Real não encontrou explicação para a fortuna do padre, de 77 anos, e abriu um processo-crime por suspeita de branqueamento de capitais.

Fernando Guerra, actualmente pároco de Montalegre (em Viade), já foi ouvido no inquérito que deverá ser em breve enviado para o Ministério Público de Chaves.
Na diocese de Vila Real, as investigações da polícia criminal são desconhecidas. Aliás, segundo o jornal, fonte da diocese disse ao jornal que o bispo D. Amândio Tomas não foi, nem tinha de ser informado das diligências policiais.
Será caso para questionar:

… Se o “patrão” dos padres está em todo o lado e sabe tudo e não lhes diz nada … não estará a ocultar informação privilegiada ??? 

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

MAIS UM CASO DE "REFUNDAÇÃO" ...




Como tem sido norma deste (des)governo, o governar à vista, o proteger os interesses dos grandes, a falta de mínima sensibilidade para com os problemas e direitos das populações, passa agora para um novo capítulo: A "refundação" da rede de Tribunais !
Mais uma vez, esta Ministra, ou é ignorante e desconhece o país, ou então está a cumprir ordens de alguém ...
Agora quer acabar com a maioria dos tribunais, passando as sessões de julgamento para tribunais a muitos klms de distância dos locais de residência das populações.
Efeito directo: Ou não recorremos à justiça e fazemos como antigamente "a justiça da enxada na cabeça do vizinho" ou então, teremos que pedir um "resgate" ao banco para custear o transporte, a alimentação e os dias de trabalho perdidos pelas testemunhas para presença nas audiências !
Portanto pessoal, TODOS DIA À MANIFESTAÇÃO em defesa do nosso tribunal !!!
Não é só a luta dos advogados e agentes judiciais que está em causa mas, o direito constitucional do acesso à justiça !
Com esta "refundação" passará a haver uma justiça para os pobres e outra para os ricos !!!
Já agora ... ainda não percebi a posição da Câmara Municipal ...


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

sexta-feira, 17 de junho de 2011

TAMBÉM A CULTURA RESISTE !

O maestro Riccardo Muti acabara de reger o célebre coro dos escravos “Va pensiero” do 3º acto da ópera “Nabucco” de Verdi.
Depois recorda o significado patriótico do “Va pensiero”, e pede ao público que o cante, com a orquestra e o coro, como manifestação de protesto patriótico contra a ameaça contida nos planeados cortes do orçamento da Cultura do fascista Berllusconi.


quarta-feira, 1 de junho de 2011

CAPITALISMO: UMA EMPRESA DE COMUNS LADRÕES “DISFARÇADA”



O roubo capitalista, não é outra coisa, que uma vulgaridade criminal convertida numa abstracção. É uma simples operação matemática (roubar o próximo com a política e com a guerra) que terminou convertida numa civilização: O sistema capitalista nivelado como “mundo único” á escala planetária.

Resumido, o capitalismo não é mais que uma empresa de ladrões comuns, que nivelou á escala planetária um “sistema” (económico, político e social) para legalizar e legitimar com leis e instituições, um roubo massivo e planetário de todo o trabalho e dos recursos naturais, disfarçado de “economia mundial”.

Para entender o que se está a passar com a economia capitalista, o melhor é ler a sua imprensa !

Ler os porta-vozes dos donos do circo capitalista. Os que contam a realidade do roubo através das suas próprias contradições e luta pelos mercados e pelo poder.

Em economia, o coração estratégico do sistema capitalista, não existe nem a verdade nem a mentira (são só moralismos para controlar o cérebro), existem situações objectivas e interesses comerciais que determinam ”o quê e para quê” de todos os processos económicos.

Há que ter em conta um princípio comprovado pela história: As guerras militares não são feitas para matar (a morte é só o emergente do roubo) senão para dominar países e povos, apoderando-se dos seus recursos, dos seus mercados e roubá-los com total impunidade. Toda a história do capitalismo, está marcada por esta dinâmica.

Como definição, o capitalismo não é somente um modelo económico, senão também de dominação mundial, estabelecido como “civilização única”.

No actual desenho de “economia mundial globalizada e/ou trans-nacionalizada” não são (de forma prática) os governos nem os países quem decidem quanto se produz e para quem se produz á escala mundial, sendo este papel entregue às corporações e aos bancos mundiais que têm o domínio sobre as três estruturas básicas do sistema capitalista: A estrutura de produção, a estrutura de comercialização e a estrutura financeira.

Esta dinâmica funcional levanta a primeira contradição histórica do sistema capitalista: O capitalismo só produz para quem possa pagar pelos bens e serviços produzidos. A produção (controlada pelos grandes grupos multinacionais) não está orientada pela busca do bem social, senão, pela máxima rentabilidade empresarial capitalista.

Esta assimetria funcional (do trabalho social e a apropriação individual) é a chave determinante da existência de ricos e pobres, de incluídos e excluídos, de empregados e de desempregados.

É mais, a chamada “civilização “ capitalista, as suas instituições, os seus sistemas políticos e jurídicos, a sua cultura, as suas regras morais, os seus credos religiosos, a sua arte, a sua arquitectura, as suas universidades, as sua construções filosóficas, foram edificadas a partir do roubo e da escravidão de seres humanos.



Onde está o negócio ?

Todo o sistema capitalista, nasce e começa pelo roubo. Ou seja, começa pela economia. Logo, vem a abstracção política, social e cultural, para disfarçar o roubo.

A impunidade

Se o capitalismo dissesse a verdade aberta (a sua única mensagem efectiva e real que é o roubo), todos os cidadãos o percebiam em cinco segundos !

Assim como ao usurário o protege as leis, a existência impune do sistema capitalista só se justifica pela existência de estados imperiais (com os EUA á cabeça) com os seus aparatos militares e os seus arsenais nucleares que, rodeiam como um anel de morte a países e a recursos estratégicos.

Se a maioria dos povos tomasse consciência do macro-roubo capitalista, não haveria refúgio em todo o mundo para proteger os empresários e banqueiros da ira popular !

Por isso, o capitalismo inventou e deu identidade e escalas de “prestígio” á cultura e às universidades e, mais recentemente, aos meios de comunicação. São os grandes ocultadores e legitimadores do roubo capitalista executado em escala massiva e com total impunidade.

As fontes

Neste cenário, marcado pela abstracção do roubo em níveis culturais e políticos, e para entender como funciona a economia capitalista, teremos que ir aos representantes periodísticos mais influentes do sistema que controla a economia mundial, desde Wall Street, até às grandes metrópoles financeiras europeias.

Quem se interessa pela investigação de sistemas e processos económicos produtivos (tanto das potências centrais como de países periféricos), poderá comprovar que tanto os recursos naturais como os sistemas de produção e comercialização á escala global, estão hegemonizados por menos de 200 bancos e corporações multinacionais, cujas casas centrais se encontram nos EUA ou Europa.

Estes gigantes “diversificados” e interactivos (ligados através de infinitos vasos comunicantes) da produção, do comércio e das finanças mundiais, estão liderados pelas 30 primeiras multinacionais cotizadas no índice Dow Jones de Wall Street, o centro financeiro do capitalismo mundial.

Dentro desta lógica económica funcional do capitalismo, os estados capitalistas (tanto do mundo imperial, como do mundo dependente), só cumprem uma função reguladora e ordenadora (elaboração de leis, cobrança de impostos, governabilidade política e jurídica, etc.) sobre a actividade económica desenvolvida pelas corporações privadas que, hegemonizam as decisões e o controlo sobre os recursos naturais, sobre a produção e a comercialização de bens e serviços, consumidos genericamente pela chamada “humanidade”.

Para entender a economia capitalista, temos que ler os representantes jornalísticos dos ladrões. É dizer, aos analistas e meios de comunicação mais “prestigiados e credíveis” do sistema capitalista.

Por exemplo: No The Wall Street Journal e The Financial Times, estão sintetizadas as visões macroeconómicas e financeiras dominantes: Wal Street, a euro zona e as multinacionais asiáticas.

Mais, nas páginas do financeiro estado-unidense e do britânico, é possível fazer um seguimento (identificando os grupos) da guerra económica de EUA e Europa pelo controlo dos mercados e do sistema financeiro.


O DESCODIFICADOR



No sistema capitalista está tudo á vista. Os directórios, os activos empresariais, a facturação, os lucros e as fortunas pessoais podem ser consultados na Internet. Qualquer pessoa que saiba minimamente ler e interpretar esses números, consegue facilmente identificar processos e verificar como, bancos e multinacionais, controlam o comércio interno, o comércio externo e o sistema financeiro dos países.

Basta só comparar os números, os “investimentos” e o rácio de rentabilidade, para entender o mecanismo do predador económico (a transferência de riqueza e de recursos) que realizam os aglomerados capitalistas multinacionais, controlando governos e países.

Todos esses processos (passíveis de serem estudados e compreendidos logicamente), permanecem ocultos e sem compreensão massiva, por duas razões: Os analistas de direita deformam-nos ou os disfarçam e, os analistas e organizações de esquerda (salvo excepções) não se dedicam ao estudo dos números, apenas á ideologia.

E como o mundo capitalista se divide entre “esquerda” e “direita”, as maiorias ficam sem nenhuma possibilidade de conhecer como funciona o “grande roubo” mundial feito pelo capitalismo legalizado e legitimado pelas próprias instituições (culturais, políticas e mediáticas) que criou para esse fim. O capitalismo é um livro aberto, só temos que encontrar um descodificador e a vontade para entender os processos.

O novo sistema de domínio

Para cumprir os seus objectivos de dominação imperial (orientada para a ganância económica e a conquista de mercados) o sistema capitalista, utilizou historicamente (e segue utilizando) duas técnicas base combinadas: O pensamento individualista (como matriz de conduta social orientada para a imposição da consciência imperial sobre a consciência nacional dos países e sociedades conquistadas) e a desaparição de fronteiras entre o dominador e dominado (orientada a impor ao dominado, o pensamento e a ideologia do dominador).

Mediante a publicidade comercial (a ideologia do consumo) e a sociedade de consumo (a conduta consumista), o sistema capitalista nivelou (numa fase do seu desenvolvimento histórico) uma “consciência universal” baseada e adaptada aos esquemas funcionais do mercado e a busca da maior rentabilidade comercial capitalista.

Hoje o sistema capitalista, massivamente e a nível planetário, já não domina com exércitos militares. Domina sim com exércitos mediáticos e técnicas de manipulação cerebral, orientadas ao direccionamento de condutas massivas com fins de controlo político e social.

Destruído o Estado nacional e substituída a “consciência social” pela “consciência individual”, é quebrada toda uma escala de valores dos indivíduos e uma particular linha histórica de sociedade, família, língua, cultura, tradições e crenças (próprias de um país e das suas fronteiras geográficas) para os converter em terminais funcionais de uma “consciência universal” consumista do sistema capitalista, nivelado á escala planetária como “civilização única”.

De tal maneira que, durante a vigência do capitalismo “transnacional” o esquema referencial de “socialização” dos indivíduos já no se parametrizam nos “valores locais” sociais, históricos e culturais de cada país, mas nos “valores universais”, expressa por formas de consumo de pensamento social, modas, etc., marcados na consciência individualista.

Este nivelamento de conduta e pensamento social individualista (confirmada pelo reflexo que tem a nível planetário, as grandes cadeias informativas e na própria Internet) permite alienar e “des-socializar” o indivíduo do seu meio natural e social e, converte-lo numa peça funcional destinada a consumir os diferentes produtos e programas, que o sistema capitalista utiliza para gerar rentabilidade e dominar á escala global.

O objectivo final é converter, nivelar e reduzir o indivíduo a uma célula funcional do macro-roubo capitalista da sociedade de consumo massificada.

Comprar barato e vender caro


A economia capitalista, começa com duas fases: Comprar barato e vender caro.

Compra mão-de-obra barata (exploração do homem pelo homem), compra barato e controla toda a produção (meios económicos), controla todo o mercado (a comercialização), controla todo o sistema financeiro (a moeda), compra acções baratas e vende-as caras (especulação financeira), controla todo o comércio exterior (mercado internacional) usufruindo de impostos irrisórios (controlo de governos), vendendo a produção ao preço mais caro (hegemonia monopolista da economia).

A diferença matemática resultante desta equação, é a ganância capitalista (geradora de concentração de riqueza em poucas mãos), produzida por um sistema que não está orientado a satisfazer a demanda social colectiva senão, a satisfazer a rentabilidade privada dos macro-bancos e mega-empresas que controlam todo o processo económico.

O primeiro axioma funcional de um capitalista é, vender caro e comprar barato, que resulta no lucro capitalista.

Isto foi exactamente o que fizeram os bancos e grupos financeiros que controlam a Reserva Federal dos EUA e as taxas de juro, com a “burbuja" hipotecaria” primeiro, e depois com a “Crise Hipotecária”.

Primeiro venderam caro:

- Enquanto a Reserva Federal mantinha baixa a taxa de juro, empresas e bancos arrecadavam multimilionários lucros com o “ boom imobiliário” nos EUA.

— Logo (numa frente de “multi-negócio financeiro” á escala global) as multinacionais e bancos de investimento de Wall Street e Europa, colocaram esses empréstimos a valores altíssimos nos mercados mundiais, gerando uma borbulha de lucro especulativo de biliões de dólares.

Seguidamente, compraram barato:

Com os fundos financeiros estatais (propriedade dos contribuintes) dos resgates a grandes empresas e bancos, os mesmos que tinham produzido a crise com a “borbulha”, compraram a preços irrisórios acções e activos empresariais, vendidos em massa pelos perdedores da crise financeira desatada nos mercados globais.

Ou seja, pela mesma mecânica de comprar barato e vender caro, as acções assim como os activos das empresas, foram parar aos bolsos dos mesmos grupos super-concentrados que detonaram a “borbulha” e logo detonaram a “crise”, para se apoderarem de activos e acções empresariais a preços desvalorizados.

É esta, resumidamente, a história do CAPITALISMO:

                          UMA EMPRESA DE COMUNS LADRÓES “DISFARÇADA”

terça-feira, 24 de agosto de 2010

HIPOCRISIA !

Num destes dias, encontrei na Net este excelente artigo, que pode ser consultado aqui na sua totalidade.

Por estar tão bem escrito, sem qualquer tipo de anti-americanismo râncio, é publicado aqui, na sua versão original.

Vale a pena ler ! O texto é da autoria de Izaías Almada, escritor e colunista do NR.

Os EUA querem salvar o mundo do terrorismo e quem salvará o mundo dos EUA?
 


A arrogância e a prepotência com que o governo dos EUA se comporta no mundo contemporâneo, além de cansativas, estão se tornando um perigo para a sobrevivência da humanidade. Que eu saiba, à exceção dos poucos países cujos governos mantêm uma postura totalmente submissa aos interesses norte americanos (cito de cabeça a Colômbia, a Costa Rica, a Arábia Saudita e a Coréia do Sul como exemplos mais significativos), nenhum de nós, mortais, deu procuração a Washington para pensarem e agirem em nosso nome.

Essa “luta contra o terrorismo”, a “defesa da democracia” e o “combate ao narcotráfico” já não convencem a ninguém mais. A quem quer enganar o Tio Sam? Luta contra o terrorismo? Mas quem é que armou o Talibã? Quem criou Osama Bin Laden? Quem tortura inocentes na prisão de Guantánamo? Quem apoiou a maioria dos golpes de estado na América Latina nos anos 50, 60 e 70 e o recente golpe em Honduras? Quem apoiou a Operação Condor e praticou atentados terroristas no Cone Sul? Quem financiou terroristas como Posada Carriles e que vive exilado nos EUA?

“Democracia”? Mas de qual democracia estamos falando, cara pálida? Dessa que paga salários monstruosos a executivos para fraudarem balanços e balancetes a enganarem a própria sociedade norte-americana? Essa democracia, cujos bancos, lavam dinheiro da droga? Essa democracia envia dez mil soldados em “ajuda humanitária” ao Haiti? Essa democracia que mata civis inocentes no Iraque e no Afeganistão? Essa democracia que apóia a ignomínia de Israel contra os palestinos?

“Combate ao narcotráfico”? Mas qual é, segundo dados da própria ONU, o país que mais consome drogas pesadas do mundo, como o ópio e a cocaína? Cujos lucros passam já de 400 bilhões de dólares anuais, dinheiro sujo, mas legalmente lavado em alguns dos principais bancos do Tio Sam? Dinheiro, que já se suspeita, financia algumas operações da CIA “around the world”?

Nesse item particular, do “combate ao narcotráfico”, cabem aqui algumas perguntinhas que não querem calar: do que precisa o maior país consumidor de drogas do mundo? Da droga, é claro, responderia o conselheiro Acácio. Onde se produz mais ópio? AFEGANISTÃO. Onde se produz mais cocaína? COLÔMBIA. Muito bem.

Vamos investigar mais um pouquinho. Como é que se faz para o ópio chegar aos Estados Unidos da América em grande quantidade e segurança, se há uma guerra de invasão ao Afeganistão e o país está sob o comando das Forças Armadas dos EUA? Como é que a cocaína deixa a Colômbia em quantidade e segurança, se boa parte do território está vigiada pelo exército Colombiano e por sete bases militares dos EUA com os mais sofisticados armamentos e sistemas de vigilância do mundo?

Contem essas histórias para outros... Até quando o mundo será obrigado a conviver com essa hipocrisia, com tanta mentira e empulhação, como se fossemos todos uns idiotas que não sabemos o que queremos? Ou somos?

O drama é real para todos, enquanto a pobre sociedade norte-americana vai se tornando cada vez mais doente, em parte alienada pela droga, em parte pela lavagem cerebral que sofrem seus cidadãos dos meios de comunicação, e em parte ainda por ter de suportar quase que em tempo integral seus jovens partirem para guerras umas atrás das outras.

Só no primeiro semestre de 2010, 145 soldados americanos cometeram suicídio no Iraque e no Afeganistão. E 1713 tentaram.

Quem salvará o mundo dos Estados Unidos da América?

"O Jornal da Record descobriu o local onde ficava o principal centro da operação Condor, no centro de São Paulo. A Condor era uma operação que atuava em conjunto com outros países sob supervisão dos EUA."

quarta-feira, 9 de junho de 2010

EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS





VÍDEO INCLUÍDO NO KIT DE EDUCAÇÃO SEXUAL, DADO NAS AULAS

Onde está a polémica?


PARA VER VÍDEO COMPLETO, CLICAR !!!

terça-feira, 1 de junho de 2010

VIVAM AS CRIANÇAS !

Hoje, dia 1 de Junho, dizem-nos que é Dia Mundial da Criança !
Para celebrar e como sou um “ desmancha-prazeres “, trago 2 fotos:

(FOTO DO GREENPEACE, SOBRE A FALTA DE ÁGUA PARA AS CRIANÇAS)



(CRIANÇA PALESTINA, BALEADA POR MERCENÁRIOS ISRAELITAS)

Nestas fotos, provocatórias (é essa a minha intenção!) podemos ver crianças em duas situações que, nos restantes dias do ano, a maior parte das pessoas e organizações responsáveis, tentam esquecer ou esconder!
Como não sou desses, todos os dias lembro que, as crianças são o melhor bem do mundo !
Conforme Carta dos Direitos das Crianças e princípios consagrados na nossa Constituição, as crianças têm o direito:

. A viverem em alegria;
. A uma alimentação capaz de satisfazer as suas necessidades;
. Direito á saúde e á educação;
. A viverem em Paz;
. A ……blá ... blá ..

Concluindo:

A serem felizes !

Por isso e mais uma vez, é nosso dever defender as crianças, lutando por políticas sociais, capazes de contemplarem plenamente os direitos das crianças, constitucionalmente consagrados.

Que não existam mais crianças sem acesso a cuidados de saúde, sem pão, sem educação !
NESTE DIA, AMEMOS AS CRIANÇAS … TODOS OS DIAS !